06 Jul
06Jul

Você tem um cão ou gato e está pensando, ou já pensou em adicionar mais um integrante à família? Tem medos e inseguranças se isso será bom e como deve fazer?

Nesse post vamos te dar algumas dicas e tentar ajudar você nessa tarefa.

Compreendemos suas inseguranças, afinal, não é algo fácil. Mas com muita paciência, organização e amor, dá certo! Nós humanos temos personalidades, hábitos e instintos diferentes, e isso não é diferente no mundo animal. Cada animal tem suas particularidades e precisamos entendê-las e trabalhar cada uma delas.

O primeiro contato entre o veterano e o calouro:  A melhor forma de apresentá-los é dentro de um ambiente controlado, ou seja, deixar um deles dentro de uma caixa de transporte ou no colo do Dono, se você tiver alguém que possa te ajudar nessa tarefa melhor ainda. Então, isole um dos animais e deixe o outro livre, para que possa ver, cheirar e conhecer o novo integrante. Após alguns minutinhos troque os lugares, deixe o que estava preso circular e isole o outro. Se um dos animais for grande e não couber dentro de uma caixinha, pode manter atrás de um portão por exemplo. Repita o mesmo processo, para que ambos notem que podem circular e fazer as mesmas coisas no ambiente, até que você note que estão agindo normalmente sem se incomodar com a presença um do outro.

Uma super dica: Fique tranquilo e não economize nos carinhos e na conversa, pois, eles nos entendem e percebem o que estamos sentindo.

Período de adaptação:  É normal esse período ser um pouco extenso, as vezes demora mais, outras vezes é mais rápido, paciência é o segredo. Não os deixe no mesmo ambiente sem supervisão até você ter 100% de certeza que um está bem com a presença do outro. Estimule com petiscos, brincadeiras e dê atenção sempre compartilhada. Mantenha cada um com seus pertences separados (cama, comedouro, brinquedos), cada um precisa do seu espaço.

Por fim:  Preste muita atenção aos sinais de rejeição. Não é comum, mas pode acontecer de alguns cães ou gatos não serem compatíveis com uma convivência a dois ou mais, em casos de animais mais velhos ou com histórico de comportamento agressivo por exemplo. Ainda que seja difícil para você, não force uma convivência que parece não estar dando certo, pelo bem de todos, se precisar terá que manter cada um no seu cantinho.

E o mais importante: o AMOR! Seja você tutor de 1, 2, 3 ou vários cães, gatos ou qualquer outro animal, o amor é o mais importante. Cuide de quem está sempre ali pronto para dar um carinho ou fazer companhia, o amor mais sincero não precisa de palavras!

E aí, gostou do Blog de hoje? Deixe seu comentário e compartilhe esse conteúdo com outras pessoas. Até a próxima ❤️🐱🐶

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.